23 de julho de 2009

Fábrica de vinis promete discos com alto padrão de qualidade

Um Clássico agora renovado.

Um mercado pequeno, mas duradouro. É assim que o produtor João Augusto, presidente da gravadora Deckdisc, define o futuro dos discos de vinil.

Hoje, sua paixão pelas bolachas extrapola os limites de seu paladar de audiófilo exigente. Vinil, pra ele, virou um negócio, desde que adquiriu, no início de maio, a fábrica Polysom, em Belford Roxo (na Baixada Fluminense).
Rápido parêntese pra explicar a situação em que se encontrava a Polysom. Funcionando em condições precárias desde 1999, a única fábrica de vinis da América do Sul foi forçada a fechar as portas em outubro de 2007, atolada em dívidas causadas pela má administração inerente a um negócio que nunca chegou a ser encarado como um business de verdade.

Produzido em situações precárias, o vinil que saia dali também era tido no mercado como um produto de qualidade questionável. "A maioria dos discos fabricados na Polysom eram de má qualidade, corriam na vitrola", diz João Augusto em entrevista ao Vírgula.

Entre outras novidades, ele adiantou que a nova fábrica, que talvez precise mudar de nome para Nova Polysom, por conta de problemas de registro, começa a soltar fornadas de bolachas ainda neste semestre, por cerca de R$ 60 a unidade. E que a qualidade será prezada acima de tudo. "Nosso compromisso é fazer um produto com a mesma qualidade dos vinis fabricados no exterior", garante.

Leia a seguir a entrevista completa =>

Fontes de pesquisa:

Autora: Claudia Assef

Blog Mil coisas -> por Jerry William

2 comentários:

0001coisas disse...

Muito bom a forma como você resumiu o post. Obrigado pelo crédito.

Eh Nenhuma disse...

Também te agradeço.
Costumo SEMPRE colocar a fonte de meus posts.
Alguns sites e blogs protestam veementemente quando vêm que alguma matéria sua foi republicada por outros.
Mas, pergunto-me:
De onde vem as notícias, os downloads, as imagens senão de outras fontes tais comoa mídia, jornais, revistas especializadas e até mesmo dos fabricantes de softwares?
Edito matérias da NASA, National Geographic e observatórios astronômicos variados. . .
Então, as vezes me pergunto:
Quem copiou quem ?
Por exe: a Nasa divulga imagens do universo que foram geradas pelo Satélite Hubble que por sua vez foram processadas e estudadas pelo núcleo de estudos de imagens do ESA (o núcleo europeu), repassadas para organizações como National Geographic, The History Channel, Discovery e muito mais.
Assim, a única que poderá reclamar sua posse é quem?
A Nasa, o ESA, o Hubble ? (direta ou indiretamente estão sempre interligadas).

O mesmo acontece com os downloads.
Alguém postou de alguém que também postou de alguém. . .

Admiro mais ainda você que tem a sabedoria de reconhecer isso e a grandeza de dividir.
Isso só acontece com os que podem.

Um grande abraço.

Mariangela Ghirotti
Eh Nenhuma!